sábado, 11 de novembro de 2017

Fotografias do I Encontro de Rainhas em Leráfia


Hoje, foi dia de fotografar. O encontro com as rainhas foi numa praça aqui pelos arredores de Leráfia. Elas puseram em prática as dicas dadas durante a oficina de fotografia e fizeram lindos registros. Elas foram surpreendidas com um mimo oferecido pelo Rei de Leráfia.





Na sequência, o vrau foi numa praça aqui perto... As rainhas usaram os acessórios produzidos na oficina de ecojoias.








A diversão foi a palavra de ordem...






Confiram todos os clique na fanpage @curupiraecodesigni




sexta-feira, 10 de novembro de 2017

I Encontro de Rainhas em Leráfia: representatividade feminina, empreendedorismo e arte.

fonte da ilustração: https://goo.gl/REsEm4

Em 20 de novembro é o mês da Consciência Negra, e o Atelier Curupira Ecodesign decidiu comemorar unindo ludicidade, representatividade feminina, empreendedorismo e arte. Uma forma de contribuir positivamente partilhando aprendizados e refletindo acerca da figura da mulher alocada nos mais diversos segmentos da nossa sociedade. A mulher chefe de família, que educa os filhos, muitas vezes sozinha, a mulher que estudo, que se qualifica e batalha sempre melhorias para a sua vida e os seus. 

Aos que ainda não sabem, Leráfia é um reino onírico onde fica a toca do Sr. Curupira. Neste reino, todos os visitantes podem decidir o que querem ser, assim, surgiu a ideia de convidar Rainhas a participarem de um encontro com oficinas, discussões e reflexões, que, certamente, desencadeariam nas fontes do aprendizado. A ideia tomou corpo e começou a acontecer no dia 10 de novembro, com oficina de EcoJoias, exibição de depoimento em vídeo e oficina de fotografia e de noções de empreendedorismo. 


Sob a batuta de Yolanda Ferreira e com muita criatividade, as Rainhas se apropriaram dos materiais e técnica artesanal de produção de acessórios. Recortes de cd's, texturizados com cola quente e coloridos com verniz vitral, foram a base para composição de brincos e colares. Cada rainha utilizou um gabarito para decalcar os formatos dos recortes, aplicaram as texturas e usaram as cores de suas preferências. Os inusitados acessórios serão revelados|exibidos no ensaio fotográfico que acontecerá em 11 de novembro.


O depoimento de Ilmara -MaraRyan, tocou as Rainhas. Elas se reconheceram na história de Mara, e discutiram sobre as dificuldades, dissabores, amores e desafios enfrentados pela mulher nos tempos atuais, sobretudo, a mulher negra. O depoimento de Ilmara foi registrado em vídeo e exibido no intervalo da oficina de Ecojoias, enquanto aguardavam a secagem da pintura das peças em cd's. 


As oficinas de empreendedorismo e de fotografia, também ocorreram no intervalo da pintura das peças e foram ministradas por Wecsley Oliveira. Com a oficina de empreendedorismo, As Rainhas entenderam, de forma simples, que empreender é transformar ideias e/ou serviços em negócios lucrativos, e o conteúdo adentrou na identificação do produto ou serviço, conhecimento do público-alvo, mecanismos de venda, propaganda e formalização. Já a oficina de fotografia esclareceu conceitos como enquadramento, ângulo, iluminação e composição. No dia 11 de novembro, serão feitos registros fotográficos, pondo em prática o aprendizado da oficina.

Assim foi o primeiro dia do Encontro de Rainhas em Leráfia, momentos de alegria, aprendizados, boa conversa, e como não poderia deixar de faltar, um bom e velho cafezinho no final da tarde. Confiram os cliques desse dia e fiquem ligados que o vrau vai ser certeiro com as Rainhas fotografando orgulhosas com os acessórios produzidos por elas mesmas.





















quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Sejamos a PAZ que desejamos.

Tsuru produzido após oficina no Atelier Curupira EcoDesign, com boa conversa e um saboroso café.


A Paz Reside Em Não Julgar

Pense no que vai dizer antes de abrir a boca. Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte da sua energia. Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia. Nunca faça promessas que não possa cumprir. Não se queixe, nem utilize palavras que projetem imagens negativas, porque se reproduzirá ao seu redor tudo o que tenha fabricado com as suas palavras carregadas de energia.

Se não tem nada de bom, verdadeiro e útil a dizer, é melhor não dizer nada. Aprenda a ser como um espelho: observe e reflita a energia. O Universo é o melhor exemplo de um espelho que a natureza nos deu, porque aceita, sem condições, os nossos pensamentos, emoções, palavras e ações, e envia-nos o reflexo da nossa própria energia através das diferentes circunstâncias que se apresentam nas nossas vidas.

Se identifica-se com o êxito, terá êxito. Se identifica-se com o fracasso, terá fracasso. Assim, podemos observar que as circunstâncias que vivemos são simplesmente manifestações externas do conteúdo da nossa conversa interna. Aprenda a ser como o universo, escutando e refletindo a energia sem emoções densas e sem preconceitos.

Porque, sendo como um espelho, com o poder mental tranqüilo e em silêncio, sem lhe dar oportunidade de se impor com as suas opiniões pessoais, e evitando reações emocionais excessivas, tem oportunidade de uma comunicação sincera e fluida. Não se dê demasiada importância e seja humilde. Pois quanto mais se mostra superior, inteligente e prepotente, mais se torna prisioneiro da sua própria imagem e vive num mundo de tensão e ilusões.

Seja discreto, preserve a sua vida íntima. Desta forma libertar-se-á da opinião dos outros e terá uma vida tranqüila e benevolente, invisível, misteriosa, indefinível, insondável como um grande sábio.

Não entre em competição com os demais, a terra que nos nutre dá-nos o necessário. Ajude o próximo a perceber as suas próprias virtudes e qualidades, a brilhar. O espírito competitivo faz com que o ego cresça e, inevitavelmente, crie conflitos. Tenha confiança em si mesmo. Preserve a sua paz interior, evitando entrar na provação e nas trapaças dos outros. Não se comprometa facilmente, agindo de maneira precipitada, sem ter consciência profunda da situação.
Tenha um momento de silêncio interno para considerar tudo que se apresenta e só então tome uma decisão. Assim desenvolverá a confiança em si mesmo e a Sabedoria. Se realmente há algo que não sabe, ou para que não tenha resposta, aceite o fato. Não saber é muito incômodo para o ego, porque ele gosta de saber tudo, ter sempre razão e dar a sua opinião muito pessoal. Mas, na realidade, o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.

Evite julgar ou criticar. O verdadeiro sábio é imparcial nos seus juízos: não critica ninguém, tem uma compaixão infinita e não conhece a dualidade. Cada vez que julga alguém, a única coisa que faz é expressar a sua opinião pessoal, e isso é uma perda de energia, é puro ruído. Julgar é uma maneira de esconder as nossas próprias fraquezas.

O sábio tolera tudo sem dizer uma palavra. Tudo o que o incomoda nos outros é uma projeção do que não venceu em si mesmo. Deixe que cada um resolva os seus problemas e concentre a sua energia na sua própria vida. Ocupe-se de si mesmo, não se defenda. Quando tenta defender-se, está a dar demasiada importância às palavras dos outros, a dar mais força à agressão deles.

Se aceita não se defender, mostra que as opiniões dos demais não o afetam, que são simplesmente opiniões, e que não necessita de os convencer para ser feliz. O seu silêncio interno torna-o impassível. Faça uso regular do silêncio para educar o seu ego, que tem o mau costume de falar o tempo todo. Pratique a arte de não falar. Tome algumas horas para se abster de falar. Este é um exercício excelente para conhecer e aprender o universo do saber ilimitado, em vez de tentar explicar o que é esse saber.

Progressivamente desenvolverá a arte de falar sem falar, e a sua verdadeira natureza interna substituirá a sua personalidade artificial, deixando aparecer a luz do seu coração e o poder da sabedoria do silêncio. Graças a essa força, atrairá para si tudo o que necessita para a sua própria realização e completa libertação. 

Porém, tem que ter cuidado para que o ego não se infiltre. O Poder permanece quando o ego se mantém tranqüilo e em silêncio. Se o ego se impõe e abusa desse Poder, este converter-se-á num veneno, que o envenenará rapidamente. Fique em silêncio, cultive o seu próprio poder interno. Respeite a vida de tudo o que existe no mundo. Não force, manipule ou controle o próximo. Converta-se no seu próprio Mestre e deixe os demais serem o que têm a capacidade de ser.

Fonte: http://www.fasdapsicanalise.com.br/a-paz-reside-em-nao-julgar/

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

21 de setembro: Dia mundial da Árvore

Árvore semeada no punho da amiga do infância Luciana Rodrigues.
Coordenadora do Programa Conduta Consciente e do projeto Caravana do Meio Ambiente.

Hoje o dia começou cedinho com a caravana do meio ambiente em visita a Escola Municipal Maria Thetis Nunes, em Aracaju. Alunos de alguns cursos da Unit-Universidade Tiradentes expuseram o conhecimento através de exposições, jogos, degustações e até pintura corporal. O Sr. Curupira (eu mexmo, vrau!) envolveu-se com o projeto através da oficina de ecojoias e banlangandãs. Entretanto, enquanto não começavam as oficinas, o Sr. Curupira espalhou pequenas árvores pintadas nos punhos dos que ali estavam. Foi um momento que agregou diversão, conhecimento, atitudes de preservação do meio ambiente e vida saudável.


Sobre o Dia da Árvore

21 de setembro: Dia da Árvore

O Dia da Árvore é comemorado em 21 de setembro e tem como objetivo principal a conscientização a respeito desse importante recurso natural.



O Dia da Árvore é comemorado no Brasil em 21 de setembro e tem como objetivo principal a conscientização a respeito da preservação desse bem tão valioso. A data, que é diferente em outras partes do mundo, foi escolhida em razão do início da primavera, que começa no dia 23 de setembro no hemisfério Sul.

A árvore é um grande símbolo da natureza e é uma das mais importantes riquezas naturais que possuímos. As diversas espécies arbóreas existentes são fundamentais para a vida na Terra porque aumentam a umidade do argraças à evapotranspiração, evitam erosões, produzem oxigênio no processo de fotossíntese, reduzem a temperatura e fornecem sombra e abrigo para algumas espécies animais.

Além disso, entre as diversas espécies arbóreas existentes, incluem-se várias plantas frutíferas,como é o caso da mangueira, limoeiro, goiabeira, abacateiro, pessegueiro e laranjeira.

Além de produzirem alimento, as árvores também possuem outras aplicações econômicas. A madeira por elas produzidas serve como matéria-prima para a criação de móveis e até mesmo casas. A celulose extraída dessas plantas, principalmente pinheiros e eucaliptos, é fundamental para a fabricação de papel. Além disso, algumas espécies apresentam aplicabilidade na indústria farmacêutica por possuírem importantes compostos.

Em virtude da grande quantidade de utilizações e da expansão urbana, as árvores são constantemente exterminadas, o que resulta em grandes áreas desmatadas. O desmatamento afeta diretamente a vida de toda a população, que passa a enfrentar erosões, assoreamento de rios, redução do regime de chuvas e da umidade relativa do ar, desertificação e perda de biodiversidade.

Sendo assim, o dia 21 de setembro deve ser visto como um dia de reflexão sobre nossas atitudes em relação a essa importante riqueza natural. Esse dia é muito mais do que o ato simbólico de plantar uma árvore e deve ser encarado como um momento de mudança de postura e conscientização de que nossos atos afetam as gerações futuras. É importante também haver conscientização a respeito da importância da conservação, bem como da necessidade de criação de políticas públicas que combatam a exploração ilegal de árvores.

Curiosidades:- Cada região do nosso país possui uma árvore símbolo diferente. Observe:

Árvore símbolo da região Norte – castanheira;
Árvore símbolo da região Nordeste – carnaúba;
Árvore símbolo da região Centro-Oeste – ipê amarelo;
Árvore símbolo da região Sudeste – pau-brasil;
Árvore símbolo da região Sul – araucária.


SANTOS, Vanessa Sardinha dos. "21 de setembro - Dia da Árvore"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-da-arvore.htm>. Acesso em 21 de setembro de 2017.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Curupira Ecodesign: o mais significativo dos presentes


Essa é uma postagem comemorativa do surgimento da marca do Atelier Curupira Ecodesign. Sou artesão autodidata e o artesanato faz parte das minhas lembranças mais pueris, quando criança fazia brinquedos com dobraduras e colagens de papel. A medida que fui crescendo, o perfil empreendedor começou a surgir quando ainda no grupo escolar (atual ensino fundamental menor), percebi que poderia comercializar os brinquedos que fazia, com o dinheiro eu comprava lanches. O empreendedorismo não foi tão forte, pois acabava dividindo o lucro (lanches) com os colegas. Já adolescente, assistindo a um programa de TV, vi um quadro onde o papel jornal era reutilizado e transformado em cestas. Foi amor à primeira vista, ao primeiro olhar.

O tempo foi passando, e à medida que eu crescia aprimorava a habilidade com o artesanato. Fiz muita coisa com minha mãe, ela prepara decoração de festas infantis e pintava tecido, tudo manualmente. Nesse período entendi que gostava de descobrir possibilidades, testar materiais, planejar uma peça esboçando e depois vê-la constituída. Assim, fui inventando coisas, atendendo encomendas e alimentando o desejo de viver da arte. Claro que não passou do desejo, pois viver de arte em nosso país é bem complicado.

Atualmente, Curupira Ecodesign é um eixo condutor da minha existência, um suporte emocional e uma tentativa de aumento de renda financeira. A alguns anos atrás, passei por uma probleminha de ordem emocional e fui parar em um consultório psicológico, lá entendi que instintivamente eu usava o artesanato como válvula de escape da realidade e isso me trazia calma. Quanto à tentativa de aumento de renda financeira, conforme já expus anteriormente, viver de arte em nosso país é complicado, mas, resolvi acreditar no sonho pondo os dois pés no chão e a passos lentos e fincados, evoluir meu 'curupira' e transformá-lo em realidade.

Em 2009, decidi por em prática, e ao meu favor, o que havia aprendido na formação superior em Design Gráfico, criei efetivamente a marca Curupira Ecodesign, e busquei informações sobre empreendedorismo. A criação de perfis em redes sociais e aqui no blogger só aconteceu um tempo depois. Por essas razões, definir uma data para o surgimento efetivo da marca Curupira Ecodesign não é tarefa fácil.

Assim, considerarei o ano de 2008 e a data do meu aniversário, 30 de setembro, como a data oficial do surgimento do Atelier Curupira Ecodesign. Não sou de comemorar meu aniversário, mas gosto de me presentear nessa data, e esse, certamente, é meu presente mais significativo.

Sobre o Atelier Curupira Ecodesign?

Curupira Ecodesign é um atelier de artesanato que tem o diferencial da produção manual de artefatos decorativos, utilitários e acessórios, compostos com o reuso de matérias-primas como papel, papelão e garrafas pet.

Missão: disseminar o conceito de sustentabilidade criativa através da promoção de oficinas e produção manual de artefatos utilitários, decorativos e acessórios, compostos com reuso de matéria-prima como papel, papelão e garrafas pet.

Visão: ser um referencial na produção artesanal sustentável sergipana, agregando elementos da cultura local às oficinas e artefatos produzidos.

Valores: sustentabilidade, reciclagem, valorização cultural e criatividade

domingo, 11 de dezembro de 2016

... e vamos adiante!...

fonte imagem: http://goo.gl/eSbkyk
Qual a minha profissão??? Não sei!!! Me fiz aprendiz constante, a cada fase ou desafio que a vida me empunha, eu me modificava, aprendia e me reinventava. Assim me fiz artesão, designer e professor, sem uma regra estabelecida, priorizando sempre sobreviver.

A habilidade manual que me levou ao artesanato me foi revelada ainda na infância. Um fascínio pueril de ver constituído com materiais artísticos algumas coisas que povoavam minha mente. Logo, as pessoas em volta começaram a gostar e solicitar trabalhos. Sustentei meus luxos de adolescente trabalhando, atendendo encomendas de festas, fazendo cartões convites artesanais e pintando tecido.

O design surgiu em minha vida junto com a necessidade de ter uma formação superior. Eu sonhava em ser arquiteto, mas, o salário que eu recebia como professor não dava para cobrir as despesas do curso e garantir meu sustento. Eu tinha acabado de “sair de casa”, estava morando com minha prima (que também era minha chefe). Não era meu sonho ser um designer, na verdade nem sabia o que era isso, mas, encontrei um caminho de aplicar muito do meu conhecimento de artesão no aprendizado como designer. Alcancei bons resultados no desenvolvimento dos projetos acadêmicos explorando o trabalho manual.

Falar em público sempre foi uma barreira pra mim. Tive que aprender a controlar esse medo-vergonha na prática, assumindo aulas de informática. Era um grupo que trabalhava numa escola particular, além das aulas, eu tinha a responsabilidade da produção gráfica do material e alguns produtos de divulgação. Assim surgiu o professor.

A verdade é que um não anula o outro, mas sim, um complemente e agrega diferencial ao outro. Ensinei os métodos do professor ao artesão, e estou colhendo os frutos de oficinas de arte-educação que já me levaram a diversas instituições de ensino superior. O designer, montou identidade visual, blog e ajuda a traçar estratégias de promoção e venda dos produtos do artesão.

O professor explora os caminhos da criatividade do artesão e do designer, transformando algumas de suas aulas em acontecimentos que envolvem os alunos de forma satisfatória. Por conta disso, o professor atualmente leciona numa instituição de ensino superior no interior do estado. Ele sabe que não deve se acomodar, e está se preparando para outros voos.



Assim estou me constituindo, aprendendo e me reinventando a cada dia... seguindo, apenas seguindo um fluxo, por vezes, difícil de entender, as vezes dolorido, mas sempre transformador. Não posso me permitir o luxo do cansaço, mas a carenagem já exibi sinais de desgaste. Vamos adiante!...

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Dia da Árvore - 21 de setembro



No dia 21 de setembro comemora-se o dia da árvore. Essa data foi escolhida em razão da chegada da primavera. Mas antes da escolha dessa data, acontecia no país, na última semana de março, a festa Anual das Árvores, instituída pelo presidente Castelo Branco, em 1965.

Mais adiante, a árvore ganhou um dia especial em virtude de sua importância para a vida humana e também com a chegada da primavera, onde ganham nova vida e abrem lindas flores que dão origem a novas árvores.

Com a chegada da primavera podemos ver as cidades mais alegres, pois essas se enchem de flores de todas as cores.

Muitos pensam que a árvore que simboliza o Brasil é o pau-brasil, em razão do nome, mas esse título cabe ao ipê-amarelo, uma das cores que representam o nosso país. O pau-brasil encontra-se em extinção, pois foi muito contrabandeado por ser uma madeira de cor avermelhada e de aparência nobre. Além dessa, o jacarandá, o mogno e o pinheiro também se encontram nas mesmas condições de extinção.

As árvores são plantas que possuem um caule lenhoso e são constituídas por raiz, caule, folha, flor, fruto e sementes. São elas que nos fornecem o ar que respiramos, além das frutas e outros tipos de alimentos; a madeira para construção de móveis, casas, objetos decorativos, cercas; também fornecem remédios; e a celulose, matéria-prima para a fabricação de papel.

Em face das necessidades dos homens em construir novas moradias e melhorar suas condições de vida, as árvores acabaram sendo alvo de destruição, pois grandes áreas foram desmatadas para a construção das cidades.

O contrabando de madeiras também fez com que grandes áreas fossem destruídas, principalmente na floresta amazônica, onde o acesso a outros países é mais fácil e próximo. Os prejuízos seriam menores se fossem plantadas novas árvores nos lugares das devastações, mas o tempo que levam para crescer é muito grande.

O homem precisa ter consciência de que as plantas também são seres vivos e que levam tempo para se desenvolverem. Uma árvore leva longos anos para ficar bem desenvolvida e algumas são tão velhas que são tombadas como patrimônio histórico, devendo ser preservadas.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

fonte: http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-da-arvore.htm

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Modelando Emoções: oficina de arte-educação com papel machê

Impressões sobre a Oficina “Modelando Emoções” com os internos no Asilo Rio Branco.

Atendendo ao convite da futura Psicopedagoga Clésia Santos (a Drª. Mariposa), a oficina Modelando Sonhos aconteceu no Asilo Rio Branco, como pré-requisito a uma disciplina no curso de especialização.

No início, ainda na fase de planejamento e estruturação da oficina, tive receio principalmente em relação à abordagem do público-alvo, posto que, o trabalho arte-educativo com idosos era inédito até então.

O desagradável sentimento de receio desapareceu logo nos primeiros instantes de contato com os idoso, cedeu espaço para sorrisos e momentos de reflexão e alegria. Jó ouvi muitos dizerem que “idosos são como crianças crescidas”, não, definitivamente idosos não são como crianças. Não quero aqui traçar parâmetros comparativos, nem mensurar diferenças entre crianças e idosos. Mas, a verdade, é que me diverti com os idosos tanto quanto com crianças. Perceber as estratégias de argumento para se negar a fazer determinado procedimento por conta de um incômodo físico, alegando apenas falta de vontade, ou verbalizando um “faça para eu ver como é”, foi divertido. As conversas entre as cuidadoras com os internos também contribuíram para quebrar o clima de seriedade e tensão que eu estava.

Ao mesmo tempo que me diverti percebendo a estratégia de fuga da atividade por um incômodo físico do interno, também refleti sobre a condição humana do envelhecimento. Ver a senhorinha tentar executar e em seguida desistir de fazer a atividade, sorrindo e tentando esconder sua limitação física, me fez perceber a grandiosidade daquele ser não em esconder a dor, mas sim, de escolher sorrir.

Foram momentos de grandioso aprendizado, momentos que levarei para sempre em meu ser epistemológico. Guardarei a lição de humanidade e sempre reverenciarei àqueles que escolherem sorrir.



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...